Aqui é o ponto de encontro de todos os que gostam de ler, de falar de livros, de ilustrar as passagens preferidas, de partilhar leituras…
Vamos conversar?
Neste espaço, podemos partilhar com os outros as nossas opiniões sobre livros/textos que apreciamos, leituras que adoramos e, também, conhecer novos livros interessantes. Leste um livro interessante? Então, fala-nos um pouco dele. Vem até aqui, ao nosso PONTO de ENCONTRO, um espaço que gostaríamos que fosse verdadeiramente NOSSO, de toda a Comunidade Educativa.
“Ler é sonhar pela mão de outrem.” Fernando Pessoa
publicado por Cidália Loureiro e Lídia Valadares | Domingo, 23 Janeiro , 2011, 22:54

Hoje não venho falar de livros. Não da forma que costumo, não dos livros que conhecemos como tal. Hoje venho falar de um outro livro. Um livro feito de carne e osso, um livro com cabeça, tronco e membros. Um livro que carrega no seu peito um coraçãozinho de ouro. Que tem um rosto, uns olhos doces e transporta na essência do seu ser uma gentileza singela. É feito de ternura, este meu livro. Cresce todos os dias alimentado pelo amor, desenvolve-se por entre a delicadeza e a inocência e, um dia, este meu livro será certamente a minha maior “criação”.

Este meu livro tem muitos nomes, mas apenas um o define tal como é. Este meu livro é o meu filho.

Talvez estranhem este meu desabado, esta minha confidência. Talvez pensem porquê…

Pois bem. Achei que devia prestar uma pequena homenagem ao meu homenzinho, porque na minha vida, até ao fim, ele será a minha maior obra e, por tal facto, achei interessante dedicar-lhe, para além do meu afecto incondicional, algo que o faça lembrar como é importante na vida dos seus pais.

Esta vida é cheia de surpresas. Perdemos tanto tempo com coisas que nos fazem esquecer por vezes o que é mais importante, daí que hoje resolvi dedicar a minha escrita ao que é deveras importante, mais importante, o meu menino. Hoje não podemos adiar ou não devemos adiar o que sentimos, porque amanhã pode já ser tarde…

Assim, resolvi fazer um poema ao meu filho, que passo a escrever:

 

 

 

O meu tesouro

Tenho no mundo o maior tesouro,

Feito de infinitas preciosidades…

Carrega no peito um coração de ouro,

Tem este meu tesouro muitas qualidades.

 

É ainda pequeno este meu bem,

Mas cresce todos os dias um bocadinho.

Nasceu pequeno do ventre da sua mãe,

E aos poucos vai ficando crescidinho.

 

O meu tesouro não é feito de tostões…

Nem de ouro, prata ou diamantes,

É feito de gente, repleto de amor e sensações.

 

Tenho ao meu cuidado o seu trilho,

Para que cresça com valor e solidez,

Este meu tesouro que é o meu filho.

 

Jorge Almeida

 


Lidia Valadares a 23 de Janeiro de 2011 às 23:39
Estimado Amigo,

Parabéns pela maravilhosa homenagem, transbordante de carinho, que prestou à sua "criação"! O Manuel irá ficar, seguramente, muito feliz.
Bem-haja por ter vindo ao nosso Ponto de Encontro falar de uma forma tão bonita do seu "livro" especial.
Até breve.

Lídia Valadares e Cidália Loureiro

mais sobre mim
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21

24
25
26
27
28
29

30
31


LER
“O prazer de ler e de escrever não é um acto solitário, é uma forma de entrar em relação com o outro, de partilhar uma paixão.” Cláudia Freitas, Leituras Cruzadas
blogs SAPO