Aqui é o ponto de encontro de todos os que gostam de ler, de falar de livros, de ilustrar as passagens preferidas, de partilhar leituras…
Vamos conversar?
Neste espaço, podemos partilhar com os outros as nossas opiniões sobre livros/textos que apreciamos, leituras que adoramos e, também, conhecer novos livros interessantes. Leste um livro interessante? Então, fala-nos um pouco dele. Vem até aqui, ao nosso PONTO de ENCONTRO, um espaço que gostaríamos que fosse verdadeiramente NOSSO, de toda a Comunidade Educativa.
“Ler é sonhar pela mão de outrem.” Fernando Pessoa
publicado por Cidália Loureiro e Lídia Valadares | Sábado, 13 Fevereiro , 2010, 21:17

 

    
 Olá! Hoje sou eu que venho conversar convosco. Venho falar de um livro que captou a minha atenção mal olhei de relance para ele e li “Quando o Homem beijou a Lua”. Quando o Homem beijou a Lua?! Fiquei admirada e ouvi: “Pst! Pst! Anda cá. Vem dialogar comigo.” – chamou baixinho o livro. E fui. Tornei a pensar o título: “Quando o Homem beijou a Lua”. Essa é boa! O homem beijou a Lua? Oh! Como? Quando? Já ouvira dizer com frequência: “Andas com a cabeça na Lua!” ouEstás sempre na Lua!”, mas nunca suspeitara que o Homem namorava com a Lua.
    “Estás curiosa! Anda. Abre-me e já descobres.” – insistia o livro com uma expressão sedutora. E assim fiz. Abri-o e comecei a ler: “No momento em que o Homem chegou à Lua, a Lua estava a dormir profundamente, depois de ter passado várias noites agitada por estranhos pesadelos.” Pesadelos?! Nunca me passara pela cabeça que a Lua tivesse pesadelos!... Que mistério! Procurei saciar a minha curiosidade nas páginas seguintes. Passo a transcrever algumas passagens que me pareceram bastante interessantes:
     “Durante milhares de anos houvera entre ambos uma espécie de longo namoro à distância, sem trocas de cartas nem de promessas de amor eterno. O Homem, porém, nunca deixou de lhe dedicar belos poemas, para que a Lua jamais pudesse imaginar que caíra no seu esquecimento.” (…)
     “Por isso, quando o Homem pôs pela primeira vez os pés no solo lunar, a Lua sentiu-se, ao mesmo tempo, alegre e triste. Alegre por ver que o seu namorado de sempre ganhara finalmente coragem para a visitar, triste, por não ter sido avisada com tempo suficiente para se embelezar e poder recebê-lo.”
     Oh! Que pena! O toque da campainha chamava para as aulas. Tive de fechar o livro e não tive tempo para continuar a leitura, mas estou extremamente curiosa. Por favor, podem lê-lo e contar-me o que se passou? Está à vossa espera na Biblioteca da Escola B. 2,3 de Lamego.
     E eu esperarei por vós, aqui, no nosso PONTO de ENCONTRO.
 
     Título: Quando o Homem beijou a Lua
     Autor: José Jorge Letria
 
De facto, o Homem nunca deixou de dedicar poemas à Lua. Eu própria, um dia, também lhe dediquei umas palavrinhas. Querem lê-las? Aqui vão.
 
Quem quer vir comigo à Lua?
 
Quando eu era pequenina
Ainda menina traquina
E andava na escola
Às vezes largava a sacola
E partia para a Lua…
 
E lá ficava sonhando
Sentada numa cadeira
Que ela fazia p’ra mim
Mas não era de madeira
Era de prata e cetim!
 
Ora a minha professora
Dizia com muita razão
Já estás na Lua, Lili?
O que há-de ser de ti
Se não ouves a lição?
 
Acordava estremunhada
E depressa, depressinha
Abraçava esta amiguinha
E dizia-lhe a correr:
- Mais logo, venho cá ter!
   
E descia as escadinhas
Com os pés nas estrelinhas
Que voando ligeirinhas
Com um toque de magia:
Plim!
Me traziam ao lugar!...
Ai! Como vim aqui parar?!
 
Mas mal a escola acabava
Eu dava um pulo e gritava:
- Quem quer vir comigo à Lua?
Era uma festa na rua!
 
Pim! Pam! Pum!
Eu agora escolho um!
Um, dois, três!
Depois, vamos lá outra vez!
 

Lídia Valadares

 

José Lima a 26 de Fevereiro de 2010 às 20:36
Este blog é muito criativo e imaginativo.Neste blog podemos sentir o que está escrito.Neste blog podemos sonhar o quanto quisermos.
Sr.profs agradeco imenso terem feito este blog,assim as pessoas fãs da leitura poderão ver o talento das Sr.profs e dos meus colegas

Manuel17 a 9 de Março de 2010 às 21:18
Eu sou do 6º2 este blog é fixe,é onde podemos conversar sobre livros

Manuela Ribeiro a 3 de Abril de 2010 às 23:41
Este poema descreve de uma forma muito sublime a distracção , segundo um amigo meu nós nunca estamos distraídos estamos sim, é atentos a outras coisas.

catarina a 24 de Maio de 2012 às 17:24
gostei mas nao era o k eu kria

mais sobre mim
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27



LER
“O prazer de ler e de escrever não é um acto solitário, é uma forma de entrar em relação com o outro, de partilhar uma paixão.” Cláudia Freitas, Leituras Cruzadas
blogs SAPO